Fotógrafo?

Posted on

Opino que, fotógrafo não é aquele cara com uma câmera ou um celular na mão. Trata-se de como você olha o mundo que te cerca. Apenas que, se tiver um equipamento à mão, você pode registrar esse olhar.

  • E como acontece em qualquer ofício, você se aperfeiçoa com a prática. Às vezes saio por aí com uma idéia na cabeça. Vou clicando o que vejo de interessante. O que ganho com isso? Bem, para mim não se trata de ganhar ou perder mas apenas fotografar.

Em fotografia, o resultado será mais consistente se você dominar a técnica. Pode parecer um purismo (e é) mas uma foto que atrai o olhar em geral tem uma composição que busca isolar o tema principal de tudo o mais. É o famoso olhar fotográfico e faz parte da arte. E quando você capturar a luz e as sombras sem perder os detalhes ou a fidelidade de cores, bem, ai você pode sim produzir coisas muito boas.


Atualmente as boas câmeras digitais*, sejam elas dslr ou mirrorless, geram grandes arquivos de imagem os quais podem ser editados em uma das excelentes aplicações de pós-edição ( @I shot in RAW and edit in Darktable). (*pra não falar de celulares com câmeras cada vez melhores)

A imagem final será resultado de um workflow o qual oferece excelentes oportunidades de criação além das ferramentas de correção de imagem.

Mas acredite, houve uma época na qual o Santo Graal da fotografia estava em alcançar o resultado final ao clicar, sem nenhuma pós-edição, dando força à citação “em fotografia, menos é mais!” . Digo estava porque hoje eu prefiro zerar todas as opções de melhoria de imagem da câmera e assim obter imagens puras, que aí sim, eu posso trabalhar nelas depois e dar aquele toque final: cortar a imagem para tirar os excessos de informação, recombinar cores e contrastes e até tirar alguma mancha produzida por uma gota ou qualquer outra coisa na lente. (nada diferente do que se fazia na sala escura, com o ampliador, reveladores, fixadores…)

Hoje como ontem, esse processo rende umas boas taças do vinho.


Sobre esses processos de pós-edição, houve uma época (~1978) em que eu usava uma clássica rangefinder Yashica Linx 14-E que eu adorava! Essa câmera – pesada como um tijolo pois é toda em metal – tem uma das lentes mais luminosas da indústria em todos os tempos e em todos os preços: Yashinon DX 45mm, f: 1.4 com seus incríveis 58mm de diâmetro e com o incomparável obturador central Copal-SVE B//500. (Obturador central tem a vantagem de sincronizar com flash a qualquer velocidade de obturador). Uma câmera totalmente manual mas já tinha um fotômeto eletrônico – um grande avanço em 1968, ano de sua fabricação – o qual dava “pistas” de sobre ou sub exposição). Na prática, os ajustes de velocidade e abertura eram mesmo feitos na base do “olhômetro” do fotógrafo. E o resultado tinha que ser garantido ali, naquele segundo. Com apenas 36 poses no filme, perder uma foto por causa de uma exposição errada era um péssimo negócio. E essa experiência foi uma tremenda escola!

Por isso recomendo: quer se divertir, então saia da configuração automática da sua super câmera e use-a no modo manual. Habitue-se a analisar a cena e ajustar considerando o resultado desejado (profundidade de campo, luminosidade, dinâmica do objeto).

Os pré-sets que as câmeras atuais oferecem ao fotógrafo chegam a ser invasivos, com seus efeitos mirabolantes. Mas reconheço que alguns desses recusos são muito úteis, como é o caso dos histogramas em tempo real dos modelos high-end que permitem analisar a luz da cena antes mesmo de clicar, sem contar que você não está mais limitado às 36 poses.

As imensas possibilidades criativas da arte fotográfica, a busca pelo domínio da técnica e usar isso tudo no momento mágico do click! são desafios me fazem gostar de fotografia. Neste site, nas várias galerias, um pouco do que venho produzindo com a Nikon D5600. Uma câmera super flexível, vendida como intermediária entre as cameras de entrada e as profissionais. Apresenta características de câmeras high-end, inclusive com exposição na segunda cortina – só não oferece o SincHighSpeed Flash (tá vendo, a velha Yashica tinha isso on board) e tem um slot para armazenamento de imagem, suficiente pra mim mas visto como um risco para a fotografia profissional. É uma excelente escolha pela boa relação custo-benefício. Apesar disso, será descontinuada pela Nikon em favor de modelos mirrorless, mais apelativos ao publico nesse momento. Mas eu nem ligo. É a que eu quero ter e pronto!

Como todo mundo, sofri um tremendo impacto com a pandemia. (mas comparado com as perdas de milhares de pessoas – o que eu lamento muitíssimo – estou conseguindo seguir em frente. Em 2021 não consegui viajar nem mesmo fazer umas escapadas. Então, providenciei alguns meios para fotografia em estúdio. Mas isso não resolveu minha sede por horizontes, lugares, bicho e gente que é o que eu gosto de fotografar.

Espero que aprecie e se desejar, deixe o seu comentário ou entre em contato.

AVISO:
As pessoas retratadas – em geral eu faço isso com consenso – caso tenham restrições quanto a terem suas imagens publicadas, entrem em contato por gentileza. Embora sejam fotos por mim produzidas, o direito da imagem prossegue sendo da pessoa retrada.



Obrigado.

Alcides, março 2021
f. 11 9 51062428 WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.